Sitemap

Facebook publica estudo sobre o impacto da comparação social na saúde mental

O Facebook encomendou um estudo sobre o impacto psicológico da comparação social, que pode ser desencadeado pelo que as pessoas veem nas mídias sociais.

O uso de mídia social continua a aumentar, enquanto grande parte da população permanece sob ordens de ficar em casa.

Sendo assim, é importante entender os efeitos que as mídias sociais podem ter em nossa saúde mental.

Os pesquisadores do Facebook Moira Burke, Justin Cheng e Bethany de Gant examinaram se a mídia social está piorando a comparação social.

As descobertas de seu estudo, que envolveu 37.000 pessoas de 18 países, acabaram de ser publicadas em um relatório detalhado.

Os pesquisadores do Facebook acreditam que esta pode ser a “maior pesquisa sobre comparação social já feita”.

Aqui estão algumas das principais conclusões do estudo.

Objetivos do estudo de comparação social do Facebook

O estudo de comparação social do Facebook procurou responder às seguintes perguntas:

  • Com que frequência as pessoas experimentam comparação social no Facebook?
  • Quem experimenta a comparação social mais do que outros?
  • Que tipos de experiências pioram a comparação social?

O objetivo da empresa é usar as respostas a essas perguntas para orientar o design do produto de uma maneira que apoie melhor o bem-estar online das pessoas.

O que foi aprendido com o estudo

O que torna a comparação social pior?

A pesquisa do Facebook determinou os tipos de experiências que podem piorar a comparação social.

Tais experiências incluem:

  • Ver postagens com um número maior de curtidas ou comentários em comparação com a sua.
  • Ver mais positividade nas postagens de outras pessoas em comparação com as suas.
  • Passar mais tempo analisando os perfis dos usuários, especialmente os seus.
  • Ver conteúdo de pessoas da mesma idade que você.

Ter mais chances de comparação inevitavelmente tornará a comparação social pior.

Mais chances de comparação podem resultar de ter redes maiores de amigos no Facebook ou passar mais tempo no Facebook.

Quem experimenta a comparação social mais do que os outros?

Os pesquisadores do Facebook determinaram que os adolescentes experimentam mais comparações sociais do que os adultos.

Isso tende a ser verdade offline também, já que os adolescentes estão mais sujeitos à pressão dos colegas do que os adultos.

As diferenças de gênero dependem da geografia, explicam os pesquisadores:

“No Ocidente, as mulheres tendem a experimentar mais comparações sociais, mas em alguns países orientais, os homens vivenciam mais comparações sociais.”

Quais foram as maiores surpresas?

A comparação social pode levar a experiências positivas e negativas, mas as experiências negativas tendem a ser mais facilmente lembradas.

Um em cada cinco pode se lembrar de um momento em que se sentiu pior depois de ver um post.

Os pesquisadores ficaram surpresos ao saber que a maioria das pessoas ainda escolheria ver conteúdo que as fizesse se sentir mal, se tivesse a opção.

“Perguntamos se eles gostariam de não ter visto o post, e apenas metade disse que gostaria de não ter visto, enquanto um terço ficou muito feliz pelo pôster. As pessoas têm sentimentos complexos sobre isso, então não há uma resposta fácil.”

Também foi surpreendente saber, observaram os pesquisadores, que muitas pessoas não sabiam sobre os recursos do Facebook que podem ajudar a reduzir a comparação social.

Por exemplo, as pessoas não sabiam que podiam deixar de seguir ou adiar alguém para ocultar suas postagens.

Reduzindo a Comparação Social

Com base no que foi aprendido com o estudo, os pesquisadores observaram que o Facebook pode ajudar as pessoas a reduzir a comparação social das seguintes maneiras:

  • Ajude as pessoas a mudar o que veem em seus feeds.
  • Reduza o foco nas contagens de engajamento nas postagens de outras pessoas.
  • Use filtros para tópicos e pessoas, como: promover, deixar de seguir, adiar.
  • Apoie interações significativas para que as pessoas sejam menos afetadas por comparações.
  • Incentive a criação de experiências compartilhadas mais positivas, como acompanhar a jornada de alguém em direção a um objetivo.

Um estudo semelhante está sendo conduzido examinando o impacto da comparação social no Instagram.

Fontes: Facebook (1, 2)